Skip to main content
Problemas de Impressão

Problemas de Impressão

Problemas de Impressão

 

Olá, eu sou Pedro Luís Braghin Batista e te convido a conhecer o mundo dos Problemas de Impressão Offset

Problemas de Impressão

Os sistemas de impressão são geralmente muito complexos. Portanto, possuem tantas variáveis que na hora de se resolver um problema, não se sabe nem por onde começar. O sistema Offset é campeão quando se fala em “problemas”. Com equipamentos, processos e produtos diversos, as possibilidades de trabalho e configurações são as mais diversas possíveis, o que o torna especial e muito difícil.

Conduzir máquinas, funcionários, processos, setores, clientes e tudo mais até um impresso ficar pronto demanda uma habilidade gestora enorme. Por isso sempre prezo pelo “plano A” bem feito. Um erro no decorrer de tudo isso pode gerar uma dor de cabeça enorme e corrigir isso pode ser, não só estressante, como caro!

Plano A

Mas aí você me pergunta: Como fazer o “Plano A” dar certo? Como evitar o erro? Como corrigir algo no meio do caminho?

Assim também, não existe uma resposta fácil, nem fórmula, nem mágica. O que existe é “doutrina”, “cultura de aprender sempre” “cultura de projetos”. Sendo assim, a cada boa informação que você adquire, você passa a pensar diferente e assim, querer mudar algo para a melhor. Quando se faz isso, nunca mais será o mesmo e as coisas começam a evoluir.

No entanto, hoje vou falar de Problemas mesmo. Problemas focados diretamente na impressão.

Lembrando que o mais importante em se errar, é aprender. Documente, comunique, crie procedimentos. O que não pode é o erro acontecer novamente!

Exemplos (maus exemplos)

Vi muitos exemplos assim: Algo errado acontece (papel cortado errado, chapa gravada sem necessidade, impresso faltando tiragem, variação de cor não identificada, erros de texto, páginas soltando… essas coisas). No momento em que se identifica o erro, apenas se dá uma “bronca” em quem está com a batata quente na mão. Em seguida exige-se que se faça de novo, bem rápido, atropelando tudo e todos. Isso gera um estresse enorme. No fim, se entrega um serviço feito as pressas para o cliente (obviamente horrível). Saiu caro para a gráfica, feio para o cliente, terrível para os donos e acionistas que com o passar do tempo vão perdendo a paciência e acabam fazendo cortes, ou outras coisas desagradáveis.

O problema maior é que depois disso, nada é feito! Nada impede de tudo isso acontecer novamente.

Para que uma boa produção seja feita, a Gestão da empresa deve acompanhar de perto a construção de bons procedimentos. Observe pilotos de avião: eles possuem procedimentos para todas as situações. Eles treinam, treinam e treinam tanto, que você pode voar em diversas companhias aéreas com diversos pilotos… o resultado é sempre muito parecido, o pouso, a decolagem, os avisos. Isso porque um erro lá pode ser fatal.

Numa gráfica não deveria ser diferente. Mas negligenciamos muito bons procedimentos e treinos.

Pessoas

Antes de mais nada, lidamos diretamente com pessoas. Pessoas são difíceis. O operador reclama do salário, do ajudante, do chefe; o Chefe reclama do operador, do ajudante, do diretor; o diretor reclama dos poucos recursos, dos funcionários do cenário político. Um sempre reclamando do outro em vez de alinhar, começar de novo, organizar e trabalhar como um time.

A comunicação, o alinhamento do objetivo e a introdução de uma cultura de melhoria é o início para se virar esse jogo.

Mas enfim, tudo isso é muito bonito, mas como lidar com um erro?

Primeiro: Atitude!

Encare de frente. Seja rápido mas isso não quer dizer fazer com pressa. Pressa e velocidade são coisas diferentes.

Aconteceu? Bom, procure o culpado depois; Cortou o papel errado novamente? Analise o agora primeiro: Seu cliente é mais importante do que tudo. Tem mais papel? dá para produzir em outra máquina? vai atrasar outros setores? Tem mais papel para cortar novamente? – Pense rápido.

Logo depois de normalizar a situação, investigue: o papel recebido na impressão estava identificado? Foi conferido? Tem um procedimento para isso? Foi seguido? O cortador recebeu faltando? O almoxarifado entregou faltando? Não possuem documentos (OP, OS)? As informações estão claras e bem visíveis?

Não é preciso esperar acontecer novamente. Não é preciso brigar e criticar o trabalho dos profissionais que fizeram parte do processo que levou ao erro.

Em vez disso, imediatamente, abra um procedimento de emergência: contar resmas (por exemplo), pesar, checar Ordens de Produção.

Depois orientar a todos do ocorrido (PCP, Projetos, Qualidade, Almoxarifado, Corte, Produção).

Tecnologia

Não sou muito a favor de check lists enormes. Eles servem apenas para se encontrar um culpado caso um erro aconteça. Se for para ter um check list, que seja interativo e que ajude a acertar em vez de achar culpados (pois o erro já terá ocorrido e qual a importância disso?)

Crie sistemas que não sejam burocráticos, ou seja, nada de muito papel, assinaturas, campos para preencher. Eu sou a favor de treinar procedimentos e ter informações simples. Use e abuse da tecnologia. Use aplicativos, programas, tablets ou celulares).

No exemplo acima, do papel cortado errado (faltando tiragem), podemos pedir ao almoxarifado para entregar uma quantidade de resmas para o setor de corte. Este irá contar as resmas e confirmar a quantidade. Simples assim. Irá digitar no sistema quantas resmas recebeu. O sistema calcula quanto de papel tem ali e Pronto!

Desse modo, corte o papel e imprima uma etiqueta ou preencha um cartão com o número do serviço e a quantidade… apenas isso!

O setor de impressão irá receber o papel cortado e confirmar a quantidade. SE o PROCEDIMENTO for seguido e se tornar automático, não haverá erros.

Comparação

ANTES: uma quantidade era entregue para o setor de corte. Havia uma Ordem de produção enorme com muita informação. (ninguém lê muita coisa sob pressão de programação). O Almoxarifado entrega um pálete confiando no sistema, o cortador recebe e assina que está certo (sem conferir) e aponta que cortou a quantidade (sem realmente contar); a impressão recebe o material sem identificação e só vai perceber que está errado quando o material está em máquina.

DEPOIS: O almoxarife separa o pálete e em dupla com o cortador conta as resmas. O sistema calcula a quantidade e já produz a etiqueta com a quantidade de folhas; O cortador corta o papel e entrega para a produção corretamente identificado.

Com isso, se há uma diferença entre estoque e sistema no almoxarifado, essa questão será identificada na sua raiz, sem que o problema se estenda até outros setores onde gerará atrasos e inconveniências enormes.

Daqui para frente

Enfim, este exemplo simples ilustra qualquer situação. Portanto, deve-se estudar e tornar o procedimento mais fácil e dinâmico, com a intenção de acertar sempre… Deve-se evitar a palavra “erro” e passar a usar a palavra “acerto”.

Lembrando que a tecnologia deve ser usada e abusada. Invente!

Em síntese, têm muitas técnicas e ferramentas de Projetos, Gestão da qualidade, gráficos e muito mais que podem ser usados no estudo de casos problemáticos.

Espero ter ajudado!

 

Leia também outros posts!

 

Leia um livro

Problemas de Impressão

Problemas de Impressão

Problemas de Impressão

 

Share This:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *